Seminário - Atitude de Gestão Valorativa dos Ativos nas Áreas Comunitárias (parte I)

O Seminário da Baladi realizado em Vilarinho, na tarde do dia 8 de abril, abordou as atitudes de gestão valorativa em áreas comunitárias, cuja iniciativa contou com mais de duas dezenas de participantes identificados por representantes de entidades ligadas à floresta e compartes de Baldios Locais.

Após a saudação e abertura dos trabalhos por Luís Trota, presidente do Directivo dos Baldios de Vilarinho, Rita Serra, Investigadora do Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra, apresentou as atividades micológicas e a consequência dos impactos na dinâmica das Comunidades Locais.

Nessa valorização, afirma quea resultante inevitávelserá a económica porque só com esse sucesso se segura a provisão e a vida das pessoas a serem compensadas no Lugar.

Demonstrou que os Baldios contribuem para isso, acrescido da valorização afetiva tão importante ao empenho dinamizador de esforços na gestão dos bens comuns para que as gerações vindouras se sintam cativadas por esse propósito, assegurando-se, desta forma, o interesse pelo fortalecimento e gestão das áreas comunitárias.

As caminhadas micológicas realizadas nos últimos anos em Vilarinho, foram referenciadas como espaço comum onde as pessoas se podem conhecer sejam ou não compartes. Outra vertente fundamental é o tomar conhecimento da história sócio ecológica do Lugar, quem plantou as árvores, quem as abandonou, resumindo como uma oportunidade para desfrutar dos Baldios com o intuito de despertar consciências para descobrirem a razão de serem compartes.

Porque a valorização dos bens comuns não pode estagnar, falou nos Baldios de Vilarinho sobre a Escola com crianças (minicompartes), a qual deu origem ao kit pedagógico, estando em curso através do projeto europeu COMUNIX, a Escola comunitária para jovens dos 18 aos 30 anos.

Subtitle: 
Atividades Micológicas, quais os impactos na Dinâmica das Comunidades Locais