Reflorestação de Cabanões com quatro anos apresenta árvores em franco crescimento

Cortar árvores implica, por sistema, na gestão dos Baldios de Vilarinho investir uma percentagem dessa receita na reflorestação do espaço que fica despido.

Assim aconteceu numa vasta área de Cabanões no ano de 2013, cujo investimento rondou os 20.000,00 euros, dotando o terreno das árvores que mais se adaptavam após o habitual estudo e avaliação do mesmo.

Desse espaço destaca-se, como documenta a ilustração fotográfica, uma das parcelas com 2,7 hectares na qual existe o povoamento misto de pinheiro manso e sobreiro com o objetivo da produção do pinhão e da cortiça, contabilizando-se o investimento no valor de 3.800,00 euros,entre plantação e retancha até ao presente.

Este propósito, na opinião do Conselho Directivo, será uma forma de manter a mancha florestal dos Baldios cada vez mais planeada e controlada transpondo para os vindouros a grandeza da floresta como uma herança entre gerações.