Oficina de cogumelos silvestres também deu a conhecer a grandeza dos Baldios de Vilarinho

Numa constante inovação, os Baldios de Vilarinho têm diversificado a sua atividade florestal com o aproveitamento dos recursos naturais, destacando-se, no final de 2014, a formação da identificação e recolha de cogumelos silvestres.

Esta aprendizagem, designada por “oficina de cogumelos”, contou com a participação de 10 formandos, ministrada pela investigadora Rita Serra do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, sendo esta uma das Entidades parceiras no projeto dos Baldios de Vilarinho.

O programa, composto por vertente teórica e prática, desenrolou-se nas instalações e terrenos dos Compartes em horário pós laboral, permitindo aos formandos uma vasta aprendizagem micológica, área que está a despertar bastante interesse na comunidade, como referiu Eugénia Rodrigues, técnica florestal dos Baldios de Vilarinho.

No último dia da formação houve lugar à confeção e degustação de cinco espécies colhidas, a saber boletus badius, laccaria amethystina, lactarius deliciosus, cantharellus cibarius e lepista nuda, abordando-se inúmeras questões relacionadas com os envenenamentos.

Inserindo-se este programa na III Caminhada micológica no Baldio de Vilarinho, que registou 68 participantes, integrou-se ainda na XXV Feira do Mel e da Castanha do Município da Lousã, ficando patente que estas jornadas terão continuidade em 2015, porque este será outro meio para dar a conhecer a grandeza do projeto dos Baldios de Vilarinho, na opinião do Conselho Directivo.